MEIO AMBIENTE

Ouriços africanos eram criados e comercializados Guarapuava

Proprietário não tinha permissão legal, foi detido e solto sob fiança

Terça-feira, 08 de junho de 2021

Aconteceu em Guarapuava: um homem, de identidade não revelada, foi detido e solto em seguida, com pagamento de fiança no valor de R$ 13.400,00, por manter em cativeiro ouriços da marca hedgehog, de origem africana. São animais exóticos, que não podem ser mantidos em cativeiros, nem comercializados, mas que assim mesmo faziam parte de um negócio mantido há três anos. O suspeito fazia o comércio pela internet.

A operação foi coordenada pela Polícia Ambiental, com base em denúncias. O caso ganhou repercussão estadual.

A polícia apurou que o criador trouxe matrizes de São Paulo e estava ilegal na atividade, sem nenhuma documentação.

“Para manter ou vender uma espécie exótica, você precisa de um parecer técnico favorável da autoridade ambiental competente. Como é uma espécie de outro pais, cabe ao Ibama fazer o licenciamento. A ilegalidade, neste caso, é por ele não ter nenhum parecer técnico favorável para a situação” – explicou o O tenente André Felipe Pereira Kovalczyowski, da Polícia Ambiental, em entrevista ao G1.

Os animais apreendidos foram encaminhados ao Instituto de Águas e Terras (IAT).

Comentários

-->